trabalhar ou estudar

Trabalhar ou estudar? Decisão difícil com impacto no seu futuro

Trabalhar ou estudar? Essa questão pipoca na cabeça de milhares de pessoas todos os dias.

Por um lado, a formação ou especialização é uma das melhores formas de evoluir na carreira e de conquistar ou permanecer num emprego – afinal, as empresas estão cada dia mais exigentes e o mercado está bastante competitivo.

Por outro, para a maioria das pessoas é difícil sair do mercado de trabalho e apenas se dedicar ao aprendizado, porque precisa se manter e pagar as contas. No entanto, deixar o estudo de lado pode ter impactos no futuro

E quanto a estudar e trabalhar ao mesmo tempo? Essa seria a escolha ideal, num mundo ideal. Mas nem sempre é possível.

Vamos avaliar os cenários, prós e contras de cada decisão e te ajudar a tomar a sua. 

Trabalhar ou estudar: uma discussão que merece pés no chão

Você se formou já fazem alguns anos. Teve de trabalhar durante a faculdade para conseguir pagá-la. Desde a formatura, emendou um emprego no outro e construiu uma carreira que dá para chamar de sólida.

Mas uma pergunta volta e meia bate à porta: deveria voltar a estudar?

Em primeiro lugar, calma! Calma porque você não é o único que enfrenta esse dilema. É uma questão que é tema de palestras, de sessões com psicólogo e há muitos textos e vídeos na internet sobre o assunto.

É uma discussão  importante e que merece pés no chão! Precisa de planejamento, ser colocada na ponta do lápis e da agenda – sim, porque falta de tempo, na maioria das vezes, é só uma questão de falta de organização.

Infelizmente, não existe uma resposta pronta e nem uma fórmula que leve a uma decisão matemática. É preciso refletir. Para te ajudar com isso, citamos os cenários possíveis. Em qual deles você gostaria de estar?

Se você optar por apenas trabalhar…

Se você colocar os boletos sobre a mesa, provavelmente, a decisão será por apenas trabalhar. Afinal, todos precisamos colocar comida na mesa e pagar as contas da casa.

Em época de crise financeira e desemprego em alta, então, nem se fala! Quem tem um emprego quer mais (e deve) é mantê-lo.

Aí é que mora o perigo. Para manter-se empregado e, mais ainda, conseguir a sonhada promoção, é preciso apresentar um diferencial à chefia

Ser motivado, demonstrar interesse, fazer além do estritamente necessário e pensar fora da caixa é um bom começo. Mas, às vezes, não basta. Ainda mais para quem está formado há algum tempo – é preciso se atualizar.

Claro que um curso de inglês ou participar de palestras da sua área ajuda. Mas o mercado de trabalho está concorrido e, sim, quem focar apenas no trabalho pode acabar se tornando obsoleto.

Se você optar por trabalhar e estudar…

Depois de muito refletir, você decidiu que vai voltar a estudar. Outra graduação? Fazer uma pós? Ou mesmo terminar o ensino fundamental ou médio que acabou sendo adiado?

Pesquise sobre os cursos, veja qual cabe na sua rotina e no seu bolso e, principalmente, qual que pode ajudar a dar um up no seu futuro profissional. Depois de decidir isso, vem uma nova rodada de perguntas…

  • Como fazer para bancá-lo?
    A primeira (e provável) opção é continuar trabalhando. 
  • Como fazer para conciliar estudo e trabalho?
    O primeiro passo é organização. Coloque tudo numa agenda – de papel ou virtual -, organize tempo de dedicação ao emprego, aos estudos e ao que você gosta, seus hobbies.
  • Como ter tempo para tudo?
    Uma boa opção é fazer um curso a distância, porque te permite escolher o cronograma conforme as suas possibilidades e estudar onde der – em casa, no intervalo do trabalho, em uma cafeteria ou até em uma viagem. Além disso, ainda economiza um tempão com deslocamentos. 

O EAD geralmente é mais em conta, ou seja, parcelas menores no bolso de você, trabalhador, e ainda te dá liberdade de fazer as aulas quando e onde quiser.

Com essa flexibilidade, você pode organizar a sua rotina e conciliar facilmente as atividades de aula com o trabalho, sem prejudicar nenhum dos dois. Se a semana é corrida, dá para você assistir às aulas do EAD no final de semana. 

Independentemente da sua escolha, é só cuidar para não deixar a matéria e trabalho acumular e não perder nenhum prazo!

Trabalhar e estudar ou só estudar? 

A resposta rápida é: se você tem condições financeiras e emocionais de se dedicar integralmente ao estudo, faça isto. 

Se felizmente você pode contar com a ajuda $$$ dos pais ou se tem algum dinheiro guardado para isso, aproveite e invista na sua qualificação.

Mas nem sempre a questão é apenas financeira. Há pessoas que param de trabalhar e acabam não dando conta por motivos emocionais – ficam muito ansiosas, estressadas, não conseguem focar e lidar com a “pressão”.

Isso acontece muito com quem sonha em passar em um concurso ou um vestibular muito concorrido. A grande preocupação, nestes casos, é de a pessoa fixar um prazo para passar, por causa da grana que tem disponível ou uma meta pessoal, e isso aumentar a ansiedade. 

Não existe um prazo para ser aprovado em nada. Passar ou não depende de um grande número de fatores, e nem todos dependem exclusivamente de você. 

Portanto, a decisão de deixar o emprego para se dedicar ao estudo deve ser tomada quando tudo isso estiver bem resolvido para você. Afinal, priorizar o conhecimento  – com responsabilidade e flexibilidade – é sempre um bom investimento. 

8 motivos para não deixar os estudos de lado

Depois de considerar as questões que abordamos acima, chegou a hora de reforçar a mais importante de todas: por que você não deve deixar, ao menos por muito tempo, os estudos de lado.

  1. Crescimento profissional: você terá muito mais chances de evoluir na carreira que escolheu, inclusive se for um empreendedor, se estiver atualizado, seja em teoria, ferramentas, leituras e técnicas.
    E um cargo maior não quer dizer apenas maior salário, mas também mais desafios – e é preciso estar bem preparado para eles. Afinal, você não quer chegar no topo e perder essa oportunidade, não é?
  2. Crescimento pessoal: o estudo amplia seus horizontes, te desafia em muitos sentidos, não só em conteúdo, mas mesmo a questão da organização e de construir métodos de entrega, ou seja, traz evolução pessoal também
  3. Manutenção do negócio: por falta de conhecimento para um bom planejamento, 8 em cada 10 novos empreendimentos acabam falhando
  4. Novas ideias: estar em contato com livros, textos atualizados e novas ferramentas pode trazer insights para você implementar na sua empresa ou, quem sabe, até abrir um novo negócio, porque estudar te tira da zona de conforto
  5. Networking: como você vai estar em contato com professores e colegas, vai poder ampliar seu “network”, o que pode te trazer novas oportunidades no presente e no futuro
  6. Mentalidade: estudar é fundamental se você deseja defender seus ideais com maior integridade, pois com o conhecimento você estará mais articulado, conseguindo expor uma boa linha de raciocínio
  7. Conhecimento: quanto mais estudamos, mais percebemos o quanto não sabíamos.
  8. Credibilidade: alguém que estuda, se mantém atualizado, sabe se comunicar e expor seus pensamentos de maneira correta transmite muito mais credibilidade, o que abre muitas portas

Se você já parou de estudar para trabalhar…

esperança

Sabemos que você deve ter tido seus motivos. Sejam eles quais forem, precisam ser respeitados. Porém, nunca é tarde para voltar aos estudos.

Uma coisa é certa: até mesmo um profissional bem sucedido nunca deve parar de estudar. O mundo muda muito rapidamente e ninguém pode – e não deve – ficar longe da sala de aula (isso vale para as virtuais!) por muito tempo.

Quanto mais atualizado você estiver e mais conhecimento você obter, mais capacitado estará para trabalhar de forma eficiente e enfrentar os desafios da sua profissão. 

E, pode ter certeza, o esforço e o investimento do estudo sempre valem a pena.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e turbinar seus estudos!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.