como tirar o sono para estudar

Como tirar o sono para estudar? 8 dicas de mestre para ficar ligadão

Você dormiu bem de noite, acordou bem disposto e organizou tudo para estudar. Aí sentou na escrivaninha, começou a revisar o conteúdo e… dormiu!

Pois você não é o único. Isso realmente acontece e é bem mais frequente do que as pessoas costumam contar.

Quer saber por quê e, mais ainda, como tirar o sono para estudar? Siga lendo o texto e confira 8 dicas para você não dormir no ponto e mandar bem nos estudos.

Por que sentimos sono ao estudar?

Não é estudar que dá sono, mas substâncias químicas que agem no seu corpo.

Uma delas é a adenosina, uma substância capaz de inibir o nosso estado de vigília. Por isso, quanto mais adenosina, maior o sono.

Quando ficamos muito tempo acordados, nosso corpo começa a acumular adenosina no cérebro. Assim, se você for estudar à noite, seu cérebro terá acumulado uma grande quantidade dessa substância e, consequentemente, a tendência de cochilar aumenta.

Outra culpada pela sonolência se chama melatonina. Essa substância regula o sono e é liberada quando o ambiente escurece.

Por isso, como a luz inibe a produção de melatonina, quem estuda no computador, por exemplo, tende a sentir menos sono do que quem usa material impresso.

Aliás, essa é uma das dicas que daremos a seguir sobre como tirar o sono para estudar.

8 dicas para tirar o sono na hora de estudar

A gente sabe que acontece! Por isso, reunimos oito dicas para você não dormir no ponto e mandar bem nos estudos. Quem nos ajudou foi a Andrea Bacelar, médica neurologista e secretária da Associação Brasileira do Sono. Confere aí:

1) Durma bem

estudante dormindo

Para não dormir é necessário dormir. Isso mesmo! Não deixe para estudar na véspera da prova e virar a noite anterior à prova. Você só não vai conseguir memorizar o conteúdo quanto ainda vai estar cansado na hora H.

A neurociência explica que a gente só consegue guardar as informações que estudou quando atinge o sono mais profundo, chamado de REM. Nosso bem-estar físico e emocional depende dessas horas de sono.

Além disso, não dormir (na hora de dormir) piora sua capacidade de concentração e aprendizagem. Por isso, durma o necessário (em média, oito horas) para ter horas de estudo com qualidade.

2) Descubra se você é matutino ou vespertino

Se você sente muito sono quando senta para estudar, pode ser que esteja escolhendo o período errado do dia. De acordo com neurologistas, existem pessoas matutinas e vespertinas.

Enquanto as primeiras estudam, trabalham, fazem exercícios e se sentem mais dispostas na primeira metade do dia, as outras preferem fazer tudo isso durante o final da tarde e o início da noite.

Descubra em qual desses perfis você se encaixa melhor e adapte a sua rotina a ele. Isso significa dormir cedo se você é matutino e ter horário para dormir de manhã se for vespertino para poder dormir o suficiente.

3) Hidrate-se – de preferência com água gelada

Manter o corpo hidratado permite o bom funcionamento de todo o organismo. A água oxigena o cérebro, melhorando a comunicação entre os neurônios, o que facilita o aprendizado e a fixação do conteúdo.

Consuma água regularmente em pequenas porções durante todo o dia. Mas se bater aquela sonolência durante os estudos, beba água gelada.

Pode parecer meio cruel, mas vale a pena. O frio faz contrair os vasos sanguíneos forçando o coração a bombear mais sangue, o que aumenta a frequência cardíaca e te deixa mais desperto.

Jogar um pouco de água fria no rosto, na nuca e nos punhos também ajuda, mas se tiver com aquele sono muito forte e você não está podendo dormir, coloque os pés em um balde de água gelada ou tome um banho frio. Não tem erro!

4) Ilumine o ambiente de estudo

Se o lugar onde você está estudando for claro, menor a chance de você cair no sono durante os estudos.

Isso porque quando há luz, as retinas levam um estímulo até o cérebro, que entende que é dia e, por isso, devemos nos manter acordados e atentos. Por outro lado, a ausência de luminosidade nos induz ao sono.

Por isso, além da claridade natural, tenha uma luminária no local onde for estudar. Mas não exagere: muita luz pode causar dores de cabeça e cansaço com o passar das horas.

5) Evite lugares muito confortáveis para estudar

Ainda por falar no ambiente de estudos, evite ficar em um lugar muito confortável, como o seu sofá ou a sua cama.

Quando estamos deitados ou atirados em um local que curtimos, relaxamos toda a musculatura do corpo. E essa posição confortável pode ser o pontapé inicial da primeira fase do sono.

Por outro lado, se você estiver sentado, vai contrair os músculos das pernas, o tronco e os braços.

Deixe o seu lugar preferido para quando realmente for hora de relaxar e dormir.

6) Tome café – mas cuide com energéticos

estudante tomando café

A cafeína é um do estimulante natural. Assim como outras bebidas e alimentos energizantes, ela age no sistema nervoso central, deixando nosso cérebro alerta e concentrado.

Por isso, invista no cafezinho ou mesmo em chás, chocolate, Coca-Cola ou chimarrão, que são bebidas com boas quantidades de cafeína.

Principalmente depois do almoço, por volta das 14h e 15h, que é quando nosso corpo sofre uma queda natural da temperatura corporal, provocando uma certa sonolência.

Só não exagere e evite os energéticos industrializados! Porque pode dar o chamado efeito “rebote”, deixando-o ainda mais cansado depois.

Uma dose de café, de duas a três vezes por dia, é suficiente, acredite!

7) Faça exercícios físicos

Estudar é uma atividade monótona, geralmente solitária e calma. Já o exercício, além de movimentar o corpo e te dar ainda mais energia, ajuda a dar uma “acordada” no cérebro.

Por isso, busque intercalar os estudos com uma ida até a academia, a prática do esporte que você curte ou uma caminhada.

Há quem faça polichinelo. Coisa de louco? Que nada! Experimente: quando bater aquele soninho ou um desânimo, faça uns 5 minutos de polichinelo e veja como você ficará mais alerta.

Esse exercício simples funciona porque, ao se exercitar com alta intensidade, você acelera seus batimentos cardíacos e gera uma descarga de adrenalina no seu corpo. O famoso gás para render mais um tempinho!

8) Tire um cochilo

Você bebeu café, jogou água gelada, fez polichinelos e mesmo assim o sono persiste? Pare de lutar contra e aceite o sinal que seu corpo está dando.

Se você está muito cansado, mas o tempo está apertado e precisa estudar, experimente tirar uma soneca de 30 a 40 minutos.

Esse período é o suficiente para o corpo entrar em sono REM, o que faz com que o despertar seja mais fácil e você levante mais atento, com o cérebro revigorado para voltar a reter o conteúdo.

E não esqueça de colocar o despertador!

Como diria Robert Collier, “o sucesso é a soma de pequenos esforços repetidos dia após dia”. Portanto, não desista.

Busque encaixar as estratégias com a sua rotina. Experimente. Se adapte.

E nunca esqueça de manter mente e corpo em equilíbrio – isso ajuda tanto a dormir melhor quanto a ficar disposto enquanto estiver acordado.

Gostou de nossas dicas de como tirar o sono para estudar? Deixa abaixo nos comentários suas experiências de luta com o sono nas horas de estudo e vamos nos ajudar!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e turbinar seus estudos!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.